Alemanha e em outros países europeus Alemães chamam inundações que destruíram casas de 'catástrofe'



Alemanha e em outros países europeus

Alemães chamam inundações que destruíram casas de 'catástrofe'; belgas e holandeses também sofrem com chuvas fortes e pessoas desaparecidas

BERLIM pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas na Alemanha depois que fortes enchentes transformaram riachos e ruas em torrentes, levaram carros e derrubaram alguns prédios.

As autoridades do distrito oeste de Euskirchen anunciaram na quinta-feira que oito mortes foram registradas em conexão com as enchentes. As operações de resgate foram dificultadas pela falha nas conexões de telefone e Internet em parte da região a sudoeste de Colônia.

A polícia da cidade de Koblenz anunciou que quatro pessoas morreram no distrito de Ahrweiler, cerca de 50 ficaram presas nos telhados de suas casas e aguardavam o resgate.

Seis casas desabaram durante a noite na vila de Schuld. “Muitas pessoas foram dadas como desaparecidas”, disse a polícia.

A culpa está em Eifel, uma região vulcânica de colinas e pequenos vales a sudoeste de Colônia.

A extensão total dos danos na região ainda não estava clara depois que muitas aldeias foram isoladas por enchentes e deslizamentos de terra que tornaram as estradas intransitáveis. Vídeos postados nas redes sociais mostraram carros flutuando nas ruas e casas que desabaram parcialmente em alguns lugares.

Após dias de fortes chuvas, que também afetaram grande parte do oeste e centro da Alemanha e países vizinhos, as autoridades declararam estado de emergência na região.

A polícia disse que quatro pessoas morreram em Colônia, Kamen e Wuppertal quando seus porões foram inundados, onde as autoridades alertaram sobre o rompimento de uma barragem iminente.

As autoridades do distrito de Rhein-Sieg, ao sul de Colônia, ordenaram a evacuação de várias aldeias abaixo do vale Steinbach, pois temia-se que a barragem também pudesse romper lá.



Um bombeiro afogou-se na quarta-feira durante o trabalho de resgate em Altena, Alemanha Ocidental, outro desabou durante operações de resgate em uma usina em Werdohl-Elverlingsen. Um homem estava desaparecido na cidade de Joehstadt, no leste do país, depois que ele desapareceu enquanto tentava proteger sua propriedade do aumento da água, disseram as autoridades.

Em grande parte da Renânia do Norte-Vestfália, o estado federal mais populoso da Alemanha, as conexões ferroviárias foram interrompidas. O governador Armin Laschet, que concorre para suceder Angela Merkel nas eleições federais do outono, deve visitar a cidade de Hagen, afetada pela enchente, na quinta-feira.

O serviço meteorológico alemão DWD previu que as chuvas diminuirão na quinta-feira.

As chuvas incessantes durante a noite pioraram as condições das enchentes em Ostbelgien, onde uma pessoa morreu afogada e pelo menos outra estava desaparecida.

Em algumas cidades, o nível da água atingiu níveis sem precedentes e seus centros foram transformados em rios borbulhantes.

As principais rodovias foram inundadas e no sul e leste do país, a ferrovia disse que todo o tráfego cessou, acrescentando que “transporte alternativo é muito improvável”.

Em Ost-Eupen, na fronteira com a Alemanha, um homem foi dado como morto após ser arrastado por uma torrente, disse um governador local à rede RTBf.

Em Liège, a capital da Bélgica Oriental, o Mosa pode transbordar de suas margens no início da tarde e se espalhar pelo coração da cidade. A polícia alertou os cidadãos para tomarem medidas cautelares.

Autoridades da cidade de Valkenburg, no sul da Holanda, perto das fronteiras com a Alemanha e a Bélgica, evacuaram uma casa de repouso e um hospício durante a noite em meio a uma enchente que transformou a rua principal da cidade turística em um rio, informou a mídia holandesa.

O governo holandês enviou cerca de 70 soldados para a província de Limburg, no sul, na noite de quarta-feira, para ajudar em tarefas como o transporte de refugiados e o enchimento de sacos de areia quando os rios transbordam. Não houve relatos de feridos relacionados com enchentes na Holanda.

Chuvas excepcionalmente fortes nesta semana também inundaram parte do nordeste da França, cortando árvores e fechando dezenas de estradas. Uma rota de trem para Luxemburgo foi cortada e os bombeiros evacuaram dezenas de pessoas de casas perto da fronteira com Luxemburgo e Alemanha e na região de Marne, de acordo com a emissora local France Bleu.

De acordo com o serviço meteorológico nacional francês, o equivalente a dois meses de chuva caiu em algumas áreas nos últimos dois dias. Com o solo já saturado, o serviço previu mais chuvas na quinta-feira e divulgou alertas de inundação para 10 regiões.

Jornal TV Brasil 11 99923-2580 Jornal News

www.jornal.tv.br

www.jornaltv.com.br

www.jornaltvbrasil.com.br

www.jornal.net.br

www.jornalnews.com.br

redação

inovação gera emprego no Brasil

www.vagasbrasil.com.br

Ideias Brasil

https://www.agenciabrasil.net.br

1REDE


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo